Um dos momentos que pode ter maior impacto em termos de pressão sobre as crianças e jovens que praticam desporto são as viagens de carro no caminho para o treino ou jogo e depois no regresso a casa, neste artigo vamos analisar alguns desses potenciais danos que podem ser provocados durante essas viagens.

O ritual habitual em dia de jogo ao fim de semana é cheio de emoção na maioria dos lares para as crianças/jovens e pais e com razão, é uma oportunidade para os adultos escaparem do stress da vida semanal e entrar num novo mundo, que tem a ver com o estar envolvido, assistir e participar na prática desportiva dos filhos. Para mostrar o quão poderosa a experiência em dia de jogo é para os pais basta ver quantos telemóveis e câmaras fotográficas estão a ser usadas durante a partida para filmar ou tirar fotos? É um momento definitivamente diferente de qualquer dia da semana de trabalho normal. A participação na prática desportiva e o desporto é também a sua “fuga” à vida quotidiana!

Mas como isso pode afetar a criança/jovem e o seu desempenho? Bem, pode haver um risco de que o pai/mãe esteja mais entusiasmado e animado do que a própria criança/jovem para a competição desportiva e todas as conversas e comentários estão relacionados com o jogo:  “Hoje vai ser um grande jogo!”,”Estás preparado e confiante”, “Hoje espero que faças um grande jogo”,

É realmente um grande jogo? É provavelmente um jogo desportivo normal de uma criança/jovem e eles vêem isso de forma muito diferente dos adultos. As crianças/jovens provavelmente não vêem os jogos como grandes jogos, a menos que os adultos compartilhem essas informações com eles..

As crianças/jovens naturalmente ficarão nervosas no dia do jogo, desesperadas para fazerem tudo bem, desesperadas para agradar aos seus pais e desesperadas para deixar o seu treinador feliz. Muitas crianças só verão a vitória como uma forma de satisfazer a exigência dos pais e obter a sua aprovação e respeito.

Algumas crianças são perfeccionistas e são muito conscientes das suas falhas, erros e sucessos.

Os pais devem evitar adicionar essa pressão ou stress.

A viagem de carro para o jogo começa …

“Tens o teu equipamento de jogo? Não te esqueceste das botas e das caneleiras?”

“Eu estava pensar no treino da semana passada em que tu deverias estar colocado junto ao poste num canto, foste lento e fizeste marcação ao homem.” ……

“Além disso, quando tinhas a bola no meio campo deverias ter sido mais rápido para mudar o jogo de flanco, tenho pensado nisso até hoje.” ……

“Não te esqueças que o avançado que hoje vais marcar é bom, tenta não lhe dar muito espaço” ……

“Espero que o nosso guarda-redes hoje esteja em dia sim…..”

Qualquer conselho sobre como melhorar o desempenho vindo do pai/mãe para a criança/jovem durante a viagem no carro aumenta a pressão em relação ao treino ou ao jogo. As mensagens constantes do pai/mãe para a criança/jovem leva a um aumento da ansiedade. Isso não importa, porque o pai/mãe se sente muito melhor depois de dizer as suas ideias como forma de aliviar os seus próprios nervos e ansiedade.

As crianças/jovem conseguem perceber a linguagem corporal dos seus pais e mudanças de humor perceptíveis. Se você estiver comportando-se de maneira diferente do normal eles vão perceber. Você está quito e nervoso? Se assim for, eles podem começar a sentir o mesmo!

Você está agitado e falador? Outro sinal de que você pode estar nervoso e ser um pouco exagerado eles vão perceber.

Temos um papel importante como pais para manter os nossos comportamentos consistentes, bem como a nossa linguagem corporal. Tratar os treinos, os jogos e os chamados jogos grandes da mesma maneira, tratando toda a experiência da mesma forma não importa o que mais está acontecendo. Isto irá ajudar a fornecer um ambiente confortável para a criança/jovem que já lida com o seu próprio stress e pressão antes do jogo.

Algum stress ou pressão pode ser benéfico para a criança/jovem, eles já sentem isso, não é preciso por mais carga. Podem ajudá-los a se prepararem para fazer o melhor possível. À medida que o stress/pressão aumenta, eles podem aumentar a sua capacidade de enfrentar o desafio, enfrentá-lo com maior atenção, foco e força… No entanto, há um ponto de inflexão e os pais e treinadores precisam estar cientes disso quando o stress/pressão se torna um obstáculo para um bom desempenho. Muita pressão e exigência torna-se difícil de gerir, lidar e pode levar a criança/jovem a sentir-se exausta mentalmente e fisicamente antes mesmo de dar um passo em campo.

Os pais devem garantir que a viagem de carro antes do jogo permita que o stress seja gerido de uma forma positiva por cada criança/jovem à sua maneira. Assegurar que durante a viagem de carro o comportamento é tão normal quanto possível, assim como seria numa ida ao cinema e lembre-se que a principal razão porque as crianças brincam é por diversão e praticam desporto para se divertirem. Pode não ser a sua motivação, mas há muitas evidências que sugerem que, se você quiser que o seu filho tenha um bom desempenho, talvez queira ir levá-lo ao jogo e seguir o seu caminho!

A viagem de regresso a casa começa …

A viagem de carro para casa é quando a criança/jovem quer apenas deixar o jogo em segredo – seja uma vitória ou uma derrota.

Eles sabem se jogaram bem ou mal. Você não precisa dizer nada.

É o jogo deles e é o convite deles para você fazer parte da sua vida desportiva. Divirta-se a ver o vídeo a seguir…..

“The Ride Home – O Regresso a Casa”

“Então não foi o teu melhor jogo, estamos de acordo!?”

“Parecia que não querias jogar, que querias sair do jogo, do que jogar com os teus amigos!”

“Mas tudo bem, se é isso que queres fazer, mas diz-me porque podes fazer isso a qualquer momento”

“Talvez, possamos não vir ao próximo jogo, hummmm!

“Porque escolheres perder o teu tempo é uma coisa, mas fazeres perder o meu tempo e o tempo do teu treinador é outra coisa, és um egoísta, tu não te importas com as outras pessoas, tu não queres saber de trabalhar no duro, tu não queres saber do trabalho em equipa, e é por isso que quase sempre estás no banco de suplentes, sempre que é importante.”

“Então se queres continuar a jogar, precisas de olhar para ti mesmo, e pensa sobre isso.”

Uma elevada percentagem das crianças e jovens abandonam o desporto antes do ensino secundário. Como falamos com os nossos filhos sobre o desporto é como mantemos os nossos filhos no desporto.

As crianças/Os jovens querem que você seja um(a) pai/mãe quando terminarem de jogar e não um segundo treinador!

Talvez mesmo assim ainda sinta a necessidade de falar com o seu filho depois de um jogo,  talvez possa fazer algumas perguntas que permitam à criança refletir sobre o jogo / actividade em que estiveram envolvidos.

Quais foram as melhores partes do jogo para ti hoje?

O que achaste que fizeste melhor?

Houve alguma coisa com que não estavas satisfeito?

O que achas que precisas treinar para melhorares?

Isto, pelo menos, permite que vocês tenham uma conversa, permite que a conversa seja conduzida pela criança e gerida por si. Não mais do que isso, só porque o seu filho o deixou entrar na conversa não significa que você tenha que transmitir todo o seu conhecimento, analise e visão para ele sobre os acontecimentos do jogo.

Ou talvez todos nós devemos dar um passo atrás, ter orgulho do que os nossos filhos fazem e simplesmente dizer a eles:

Eu adorei ver-te a jogar!

2 Comentários

  1. Carlos Silva
    26 Abril, 2018
    Responder

    Gostei dos assuntos tratados nesse canal! Importante termos em mente nossa responsabilidade na formação primeiro do homem, depois o atleta .
    Quero receber mais conteúdos sobre a matéria.

Deixar uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Anterior A SEMENTE DO ÓDIO NO FUTEBOL DE FORMAÇÃO
Próximo Futebol de 9 – Uma etapa necessária no futebol de formação