A Associação de Formação Desportiva o Pinguinzinho (AFD O Pinguinzinho) tem sede em Santa Comba Dão e existe desde 2007 com o intuito de apoiar a formação desportiva dos mais jovens.

Ao longo destes 10 anos de existência, o trabalho desenvolvido permitiu a formação desportiva a algumas centenas de jovens e o reconhecimento generalizado a nível distrital e mesmo nacional, sendo certo que muito mais haverá para fazer, na continuidade daquilo que vem sendo feito.

Actualmente, a AFD O Pinguinzinho desenvolve a sua actividade na formação desportiva na modalidade de Futebol, contando com aproximadamente 140 atletas inscritos, desde os 5 aos 17 anos, complementando a sua formação escolar e procurando também que os seus tempos livres sejam mais acompanhados. Na formação destes atletas, colaboram 20 técnicos e 2 massagistas.

Ao nível do futebol, estão em funcionamento, para a época de 2017/2018, os seguintes escalões: Sub-7; Sub-9; Sub-10; Sub-11; Sub-12, Sub-13, Sub-15 “A” e “B” e Sub-17, contando com 7 Equipas em Competição inscritas na Associação de Futebol de Viseu.

Nos diversos escalões de formação, inscritos na Associação de Futebol de Viseu, O Pinguinzinho tem evidenciado a qualidade do seu trabalho enquanto associação formadora, traduzida nos seguintes resultados:

  • Campeão distrital de Sub-10 em 2010/2011 e 2013/2014;
  • Campeão distrital de Sub-11 em 2014/2015;
  • Campeão distrital de Sub-12 em 2011/2012;
  • Campeão distrital de Sub-13 em 2011/2012;
  • Campeão distrital de Sub-15 em 2014/2015;
  • Participação no Campeonato Nacional de Iniciados em 2015/2016 e 2016/2017, estando já garantida também a participação em 2017/2018;

O Pinguinzinho, por fruto da qualidade e dedicação das equipas técnicas, é já uma referência nacional atendendo a que nos últimos anos preparou atletas que foram integrar as Escolas de Formação de grandes Clubes nacionais, tendo inclusive alguns chegado às Seleções Nacionais, designadamente:

  • Bernardo Sousa, que atualmente com 17 anos, integra a equipa de Juniores B do Sporting CP e a Seleção Nacional de Sub-17;
  • Diogo Garrido, que atualmente com 18 anos, integra a equipa de Juniores A do SL Benfica;
  • Nuno Pereira, que atualmente com 15 anos, integra a equipa de Juniores C do SC Braga;

Ainda ao serviço do Pinguinzinho, podemos também destacar;

  • Daniela Santos, que pertence ao escalão de Juniores B e que integra também a Seleção Nacional Feminina de Sub-16 e Sub-17 (registando já 25 internacionalizações);
  • Diogo Silva, que integra a equipa “A” do escalão de Juniores C e que integrou recentemente os trabalhos da Seleção Nacional de Sub-15 no Torneio Inter-Seleções.

No que respeita ao Torneio Lopes da Silva, a AF Viseu tem recorrido sistematicamente à convocatória de atletas da AFD O Pinguinzinho, sendo um dos clubes, a nível da região de Viseu, que mais atletas tem fornecido para a referida competição, nos últimos anos.

Modelo da Formação da Associação de Formação Desportiva o Pinguinzinho (AFD O Pinguinzinho)

Qual a Filosofia do Clube em relação à formação?

Começa logo pelo nome: Associação de Formação Desportiva “O Pinguinzinho”.

O nosso clube tem como principal objetivo a formação, tanto ao nível do praticante desta actividade desportiva, mas essencialmente do Homem.

Fazemos uma aposta forte na formação, porque o nosso projeto passa por ter cada vez mais escalões, permitindo que o nosso escalão Senior (Grupo Desportivo Santacombadense) possa ter por base atletas “made in Pinguinzinho”, ao mesmo tempo que vamos potenciando atletas que têm condições para dar o “salto” para os grandes do futebol português, como tem vindo a acontecer ao longo destes últimos 10 anos.

Quantos atletas tem na formação e número de equipas por escalão?

Cerca de 140 atletas, com uma equipa por escalão, com exceção dos Juniores C, onde temos equipa A e B, estando a equipa A a competir no Campeonato Nacional.

 

Existe uma forma de jogar igual para todas as equipas dos escalões de formação?

Existem um conjunto de princípios definidos, sendo que depois os treinadores tem liberdade para escolher a melhor forma de potenciar os jogadores, em termos individuais, e as equipas, em termos colectivos.

Sendo escalões de idades diferenciadas, não ficamos “amarrados” ao conceito de formatar atletas a um modelo de jogo único, que muitas vezes pode não ser benéfico para as características dos jogadores.

Procuramos, dentro de certos princípios, dar liberdade a todos os intervenientes e explorar os seus pontos fortes, bem como as suas capacidades inatas.

Como são os treinos ao nível do futebol infantil e juvenil?

2 treinos semanais no futebol infantil e 3 treinos semanais no futebol juvenil. Os treinos são previamente planeados e procuram trabalhar várias competências dos atletas, quer em termos físicos, como técnicos, como táticos. O treino específico de GR passa a ser, a partir desta época, uma prioridade no Clube, havendo uma equipa que fará esse acompanhamento no futebol de 7 e uma outra no futebol de 11.

Qual o perfil de jogador definido para a formação e clube?

Posso afirmar que ser um jogador Pinguinzinho é ser diferente! A primeira característica que procuramos incutir é promover enorme paixão pelo futebol e desenvolver nos atletas uma grande capacidade de superação.

Humildade, respeito e espírito coletivo acima da média são características que exploramos, com o objectivo de lhes conferir forte adaptabilidade a todos os contextos. Estes são valores obrigatórios no clube, porque podem ser trabalhados e não dependem das características individuais dos atletas.

Depois de assimilados estes princípios, a nosso forte estrutura técnica faz o resto, nomeadamente tudo que tenha a ver com o que é o trabalho dentro das 4 linhas.

Como são os vossos treinadores enquadrados em termos de perfil por escalão?

Essa pergunta não tem grande enquadramento no nosso projeto. Todos os nossos treinadores tem competência e capacidades de adaptação a qualquer escalão.

Por princípio, no Pinguinzinho, nenhum treinador fica mais de dois anos com o mesmo escalão (salvo raras excepções), porque defendemos que ficar muito tempo não é produtivo para o processo de formação que implementamos. Não é produtivo para o atleta, nem mesmo para o treinador. O contacto com realidades diferentes é mais uma forma de potenciar a adaptabilidade que queremos que os jogadores tenham, pelo que esta “regra” dos 2 anos faz todo o sentido e está a ser implementada com grande critério.

Desta forma, todos os nossos treinadores têm a capacidade de se enquadrar em qualquer escalão, sempre com resultados positivos. Ser treinador no Pinguinzinho implica ter Paixão e Responsabilidade e perceber muito mais do que apenas de futebol, porque estamos, em primeiro lugar, a formar Homens.

Como é o processo de captação e prospeção?

A captação é feita de forma simples e direta. O Pinguinzinho estabelece contacto exclusivamente com o encarregado de educação de um determinado atleta e apresenta o seu projecto de formação, bem como algumas ideias específicas que poderá ter para o desenvolvimento do atleta em questão.

A prospeção é feita por intermédio de observação, em jogos oficiais ou em torneios, criando-se desta forma uma base de dados que é exclusiva do Clube e que nos permite manter “em observação”, alguns valores do futebol jovem que nos parecem ter potencial.

Nos escalões de formação, Ganhar ou Formar?

Assumimos, sem qualquer preconceito, que “formar a ganhar” é a melhor forma de obter resultados. E por resultado entenda-se a formação e desenvolvimento do atleta.

Defendo firmemente que os dois conceitos estão interligados e tanto o clube, como os treinadores e os atletas gostam naturalmente de vencer, mas desde que isso seja feito dentro do nosso processo e valores.

Não nos revemos na filosofia do “vale tudo” por um resultado, mas sim no conceito de vencer dentro do processo que trabalhamos. A mensagem que queremos passar é a de vencer com valores. As derrotas fazem parte do processo de formação e devem ser encaradas como tal, como etapas do processo. Perder com dignidade é absolutamente indispensável, pelo que a cultura desportiva que procuramos incutir exige esse tipo de comportamento. O Fair-Play está no ADN da nossa formação e esse é um aspecto que consideramos nuclear na formação.

O Clube faz separação entre equipas de formação e competição? Como é feita a integração?

Não temos, no Pinguinzinho, separação entre formação e competição. Todos os atletas com idade a partir dos Sub-10 (inclusive), estão inscritos nas provas oficiais do Clube, participando ativamente nos referidos campeonatos.

De que forma é feito o acompanhamento de desempenho escolar dos atletas?

Esta é uma questão muito sensível e onde procuramos ser assertivos. Fazemos sempre questão de sublinhar que a prioridade absoluta de qualquer atleta deve ser a escola e que o futebol é uma atividade complementar. Há o cuidado de, em cada período, procurar perceber como está o desempenho escolar dos atletas e, mesmo não sendo competência do Clube, procurar sensibilizar os jovens para a absoluta necessidade de serem bons alunos.

Dado o grande respeito com que os treinadores são vistos pelos jovens jogadores, estas palavras de incentivo, que muitas vezes são particularizadas para casos específicos, acabam por ter repercussão e funcionar como incentivo para melhorarem o seu desempenho.

Que avaliação faz dos quadros competitivos ao nível da formação em Portugal, tem sugestões de melhoramento?

Ao longo dos anos a FPF tem tomado medidas, com bastante sucesso, para promover a evolução do futebol de formação.

Acreditamos que vamos no caminho correto.

Segue o site FDF Futebol de Formação, como avalia o nosso trabalho e ocorre-lhe alguma sugestão?

Para mim é um projeto muito especial, faço votos que continue com a mesma qualidade.

O site é já uma referência e tem sido positivo na evolução deste desporto.

João Lopes - O nosso entrevistado

Data de Nascimento: 14/11/1984
Clubes representados: Grupo Desportivo Santacombadense, G.D Canas de Santa Maria , São Pedro Alva, G.D Tabuense, Mortagua F.C e Carregal do Sal .
Cargo: Coordenador Técnico
Clube:  A.F.D O PINGUINZINHO

Facebook A.F.D O PINGUINZINHO

Obrigado à Associação de Formação Desportiva o Pinguinzinho e ao seu Coordenador Técnico João Lopes por esta entrevista, partilha de conhecimento e pela mensagem que nos deixam, mais conhecedores e enriquecidos sobre o futebol de Formação em Portugal.

Aos nossos leitores esperamos que tenham gostado, e podem deixar uma mensagem ao Coordenador João Lopes nos comentários aqui no site. Obrigado a todos.

1 Comentário

  1. […] Fonte: Futebol de Formação […]

Deixar uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Anterior BENEFÍCIOS DA MULTIDISCIPLINARIDADE NO FUTEBOL
Próximo “NOVO REGIME DE TRANSFERÊNCIAS”