O joelho e “os cruzados”


Qualquer atleta de competição e muitos amadores, praticantes das diversas modalidade, sejam elas individuais ou colectivas, indoor (crossfit, futsal, vólei ou basquetebol) ou outdoor (futebol, rugby ou mesmo esqui), já ouviu certamente a expressão “aquele lesionou os cruzados” ou “se foram os cruzados é mau”. Mas o que é isto ao certo, o que são “os cruzados”? E há outros além dos cruzados ou são os únicos? Vamos lá descobrir alguns conceitos anatómicos acerca desta articulação que pode ser uma verdadeira “dor de cabeça” para um atleta.

No joelho podemos encontrar quatro ossos: tíbia e perónio (ossos da perna), fémur (osso da coxa) e rótula (pequeno osso móvel no centro do joelho).

Como podem verificar na imagem abaixo (imagem 1), o joelho tem quatro ligamentos principais: ligamento cruzado anterior (LCA), ligamento cruzado posterior (LCP), ligamento lateral interno (LLI) e ligamento lateral externo (LLE). Há a considerar ainda os ligamentos que ajudam na estabilidade da rótula (as asas, ou retináculos da rótula). Isto de forma muito simplificada, claro.

Imagem 1 – Ligamentos do joelho.

Quanto aos tendões (ver imagem 2) temos o quadricipital (acima da rótula), o rotuliano (abaixo da rótula) e a pata de ganso (região antero-interna do joelho). A acrescentar aqui ainda a banda iliotibial (região externa do joelho), que não sendo um tendão pode integrar-se nesta descrição.

Imagem 2 – Tendões no joelho.

No que toca ao futebol, as lesões do  LCA surgem grande parte das vezes em movimentos de torção ou rotação do joelho (Norris, 2004; Voight, Hoogenboom & Prentice, 2007), com o pé/chuteira fixo no relvado. Muitas vezes surgem, em simultâneo, lesões no menisco interno e do LLI.

O cenário que descrevi acima, a chamada tríade infeliz, é um dos piores cenários para o futebolista, seja ele jovem ou adulto, profissional ou amador. Podem ainda surgir lesões isoladas em cada um dos ligamentos (LCA, LCP, LLI ou LLE), de cada um dos meniscos (interno ou externo).

No que toca aos nossos jovens atletas, crianças e adolescentes, o calçado pode ser um dos potenciadores ao aparecimento das lesões, particularmente de LCA. O Dr. Ramon Cugat e a Drª Garcia Balletbó (Mundo Futbol Base, 2017) referem que os jovens atletas não deverão utilizar botas/chuteiras quase profissionais ou profissionais, uma vez que estas são formuladas para adultos e não para a fase de crescimento na qual eles se encontram.

Se o seu filho sente alguma dor no joelho, tem sensação de instabilidade ou ouve/sente estalidos (crepitação) regularmente, procure o seu fisioterapeuta para confirmar se está tudo saudável na sua articulação do joelho, e aproveite para fazer um check-up à sua postura e ao estado geral do seu corpo.

Referências:
Mundo Futbol Base, (2016). Ramon Cugat: “He visto varios ninos de 7 y 8 anos com rotura del cruzado
Kim, S. et al. (2012). Snowboarding Injuries.Trends Over Time and Comparisons With Alpine Skiing Injuries. Am J Sports Med 40, n 4, 770-776.
Norris, C. (2004). Sports Injuries Diagnosis and Management (3ª Ed.) London: Butterworth Heinemann.
Voigth, M.L., Hoogenboom, B.J. & Prentice, W.E., (2007). Musculoskeletal Interventions: Techniques for therapeutic exercise. United States of America: McGraw Hill Companies.

Sem comentários

Deixar uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Anterior A PIRÂMIDE ESTRUTURADA DO FUTEBOL E AS SUAS IMPLICAÇÕES COMPETITIVAS
Próximo Tomada de decisão do jovem jogador.