Mister… Não consigo!!!


Escrevo estas linhas após ver várias imagens essencialmente de várias modalidades de desporto mas também das artes (como a dança) de pessoas com deficiências físicas mas que se superam e “querer é poder”.

Antes de mais e nunca será o suficiente um enorme abraço a todos(as) que se superam diariamente e que os comuns dos mortais e fisicamente saudáveis não damos o devido valor.

Atualmente treino miúdos nascidos em 2006, felizmente para eles, tem todos família que os acompanham!!! Em 99% dos casos nada lhes falta, tem equipamentos, vão levá-los, vão buscá-los, são acompanhados em termos académicos etc. Contudo e num ambiente que gostam (futebol) perante qualquer desafio que “os obrigue” a sair da zona de conforto a primeira reação é ; Não consigo, mister!!! Obviamente que tento explicar que o novo desafio e/ou exigência, pretende torná-los mais fortes, mais aptos, com mais competências que naturalmente a conseguirem a equipa ficará mais forte.

Lidar com a frustração de não se conseguir fazer e/ou fazer mal é difícil de gerir mesmo para adultos quanto mais para miúdos com 10/11 anos, contudo, sou de opinião que quanto mais cedo, forem “obrigados” a superarem-se, mais cedo terão defesas para lidar com as frustrações e a colocarem a si mesmos objetivos atingíveis mas mais ambiciosos.

Um pequeno exemplo que vos posso dar para exemplificar o nível, ainda, que estamos; a maioria dos miúdos são destros e como tal qualquer exercício colocado tendem a executa-lo com o pé direito, em cada sessão de treino incluo no meu plano no mínimo um exercício para ser executado com os dois pés ou exclusivamente com o pé esquerdo e invariavelmente o que oiço é (após explicação do exercício) mister: Não consigo!!!

Recentemente efectuei um trabalho com um dos miúdos que mais dizia não consigo e após alguns minutos só com ele e vários exercícios simples ele quase que se recusava a utilizar o pé esquerdo, mas, nos treinos após esta situação começou a usar o pé esquerdo com mais frequência e inclusive nos jogos já executa passes com o pé esquerdo.

Não escondo que fiquei satisfeito e orgulhoso por o miúdo ter deixado o não consigo para trás e assumir o “risco” de errar mas… há muito trabalho pela frente!!! Apelo a todos os intervenientes no processo!!! Incentivem os miúdos a experimentar, a errar, voltar a errar, insistam!!!

Na vida normalmente erra menos quem “mentalmente” for mais forte, mais apto estará para as dificuldades que a vida nos apresenta.

 

Sem comentários

Deixar uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Anterior FUTEBOL DE FORMAÇÃO – O CENTRO DAS ATENÇÕES
Próximo Um olhar sobre o Treinador de Guarda Redes Português