O Treinador do Futebol de Formação (TFF) é um cargo que não é para qualquer um. Não é qualquer um que se pode vangloriar de o ser, ele tem de ser especial…

O TFF deve reunir algumas particularidades que lhe poderão conferir a excelência…o “especial”. Se por um lado deve saber/perceber o futebol de formação, por outro deve ter conhecimentos/entendimentos vastos sobre crianças e jovens jogadores.

A prática de qualquer desporto é vista aos olhos de todos como algo saudável e divertido, sendo nas mais variadas situações uma fonte de motivação para vários pormaiores da vida: seja para manter um estilo de vida saudável, seja para emagrecer, seja para descobrir ou aprimorar potencialidades ou interesses.

Então, onde é que encaixamos aqui o futebol de formação?

– Pois muito bem, o futebol continua a ser a modalidade mais escolhida quer por pais, quer por filhos. Por uns escolhida pela crença irreal de um rendimento viável, por outros pela magnitude de alguns jogadores de futebol e para os clubes uma aposta viável na formação, ou não!

O futebol de formação é nada mais nada menos do que uma escola de jogadores de futebol. Ora, se na escola tradicional queremos professores que formem a nível cultural e académico cidadãos, no futebol de formação (escolinhas) devemos querer técnicos qualificados, que permitam o desenvolvimento global dos atletas. E aqui tenho de concordar com Rui Pacheco, quando diz que “a formação desportiva é um processo global, que visa o desenvolvimento de um conjunto de capacidades específicas de futebol, a criação de hábitos desportivos, bem como a aquisição e partilha de um conjunto de valores e responsabilidade, cooperação e solidariedade, para a formação global dos atletas.

Um treinador de formação deve saber que treinar é educar, é intervir de forma intencional e organizada na orientação da criança/jovem enquanto atleta e enquanto membro de uma sociedade.

A contratação de TFF não deve ser descuidada, mas antes assente em pressupostos que visem sobretudo a promoção de competências psico-sociais e técnicas. O TFF deve ser aquele em quem o atleta pode confiar. Deve ser aquele que protege os seus atletas com “unhas e dentes”; deve ser aquele que “berra” e chora com eles; deve ser aquele que quer resultados visíveis no desempenho e no comportamento e não no número de golos ou no número de vitórias…

O Treinador de Futebol Formação deve ser especial!

1 Comentário

  1. José Carlos de Oliveira
    14 Novembro, 2018
    Responder

    Sensacional,
    Os TFF de hoje pensam muito em resultado deixando a FORMAÇÃO de lado, isso é ruim, pois, muito se perde da formação cidadã e da formação atlética, tenho plena convicção de que ambas devem se fazer presentes neste processo.

Deixar uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Anterior Cargos (ou encargos) no Futebol de Formação
Próximo As Mulheres, o Futebol e o Fim do Preconceito