Formação Desportiva da Criança e do Jovem


Atualmente atribui-se ao desporto uma importância como nunca visto porque este é um fenómeno global, integrado e independente da modernização, quer local, quer nacional ou, até mesmo, internacional.

A prática desportiva é fundamental na formação da pessoa, enquanto atleta e ser integrante numa sociedade moderna. Não obstante, não basta praticar desporto para que exista uma garantia de que o processo de formação desse individuo promova também o seu desenvolvimento.

O desporto torna-se fundamental para o desenvolvimento da pessoa, em que a atividade física é um fenómeno social que reflete os valores, as atitudes e opiniões da sociedade em que é praticada.

A formação desportiva das crianças e dos jovens tem a responsabilidade de se opor à simples reprodução do desporto adulto, devendo caracterizar-se por um processo que contribua para a sua formação global, através de atividades físicas e desportivas que sejam favoráveis ao desenvolvimento das capacidades e qualidades físicas, ou como fator necessário à realização individual do ser humano.

Na mesma linha de pensamento, saliento que o trabalho de formação desportiva não é somente uma tarefa centrada na aprendizagem das habilidades técnicas de uma modalidade, mas também no desenvolvimento das condições físico-desportivas que permitam ao jovem, na idade adulta, “a expressão máxima de rendimento no domínio dessas técnicas. No entanto, a vontade de ganhar faz com que variadíssimas vezes se utilizem formas de ensinar e treinar incorretas, favorecendo a assimilação de “erros” técnicos-táticos que posteriormente custam muito a corrigir e que se vão refletir na competição, onde se procuram objetivos imediatos.

Contrastando esta referência, é necessário compreender que a formação deverá anteceder a especialização, a qual, para ser bem-sucedida no futuro, pressupõe a existência de “alicerces” adquiridos durante o período de formação dos atletas. A sustentabilidade destes “alicerces” devem ser o mais cedo possível, tendo por base a qualidade do processo de treino e da intervenção das pessoas que orientam o processo de formação. A iniciação precoce do processo de treino não é necessariamente sinónimo de especialização precoce. Reforço que “O facto de em todas as modalidades desportivas se iniciar a preparação desportiva cada vez mais cedo revela-se positivo, constituindo um processo permanente de vários anos, com objetivos claros e distintos para cada uma das fases do processo”.

Na minha opinião “desde que sejam respeitadas as leis do treino e o processo de desenvolvimento do atleta”, torna-se importante uma introdução à modalidade cada vez mais cedo. Deste modo surgiram as escolas de futebol sem competição formal e com preocupações muito para além do resultado desportivo, mas sobretudo com a formação do atleta.

Assim, a formação desportiva da criança e do jovem constituí um aspeto fundamental na globalidade da sua preparação desportiva, revelando-se muito importante a definição de objetivos em cada uma das etapas do processo de formação, para que o seu desenvolvimento ocorra de forma harmoniosa.

“A formação de um jogador é uma história interminável”.

Sem comentários

Deixar uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Anterior O site “Futebol de Formação” visto pelo PNED
Próximo A Formação Escolar e Académica de um Jogador de Futebol