Ultimamente muitos falam do ganhar como um aspecto negativo no futebol de formação e vêem-no como algo em separado da saudável vivência desportiva. Futebol de formação é só para ensinar jovens e crianças sem ter em conta o resultado. Futebol profissional é que é para ganhar e alcançar vitórias. Não podia estar mais em total desacordo com estas afirmações.

Independentemente da idade dos jogadores, as equipas entram em campo para ganhar! Ninguém vai para um jogo para perder. Faz parte da natureza e riqueza do jogo de futebol e é uma das razões porque é tão adorado e praticado em todo o mundo. É o Desporto-Rei.

A chave é: “Queremos formar a ganhar”.  E o “ganhar” não é apenas nos jogos de futebol. É importante que os jovens e crianças percebam que também é o “ganhar” na escola, o “ganhar” na faculdade, o “ganhar” no emprego, o “ganhar” na vida. É essencial que aprendam a saber ganhar e que mantenham essas convicções à medida que se vão tornando cidadãos com contribuições para a sociedade.

Como treinadora tenho de incutir nos jogadores ambição, motivação e sentido de superação na procura pela vitória. Não é por apresentar mais ou menos ambição e motivação para ganhar jogos que se adultera a formação dos atletas! O que é determinante e pode condicionar o processo de formação dos jovens é a importância e significado que se dá ao resultado. Nesta lógica não se pode associar única e exclusivamente a vitória ao sucesso e a derrota ao fracasso (Lage, 2017). E é nisso que muitos treinadores, pais e responsáveis pelo futebol de formação em Portugal falham, vivendo agarrados ao resultadismo. Uma derrota não significa que o trabalho dos treinadores não esteja a ser bem feito e bem desenvolvido.

Devemos definir como objectivo prioritário para cada jogo: “Jogar Bem”, respeitando as regras e com o intuito de vencer. Uma equipa que jogue bem está mais próxima de ganhar mais vezes. Devemos trabalhar para ter sucesso e ganhar, mas sem abdicar daquilo que é melhor para a evolução dos nossos jogadores e da nossa equipa. No futebol de formação existem mais garantias de sucesso se desenvolvermos as competências dos jogadores e, simultaneamente, acompanharmos essa progressão individual com a evolução de um jogar em equipa (Lage, 2017).

EXEMPLO-    Objectivo equipa 2008 da S.U.S (época 2017/18): Obter o maior número possível de vitórias sem desviar de um Treino e planeamento que permita desenvolver um jogar organizado em equipa e das competências individuais dos jogadores.

Lage, B. (2017). Formação. Da iniciação à Equipa B, Lisboa, 1ªedição, PrimeBooks.

1 Comentário

  1. José Rocha
    29 Novembro, 2018
    Responder

    Concordo até porque não há formação com base na derrota e não há evolução competitiva no perder ou ganhar é desporto.
    Ganhar com respeito pelo adversário e ser competitivo e ambicioso. No saber perder também se aprende como ganhar.

Deixar uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Anterior TEMPO! O FATOR CHAVE DAS EQUIPAS DE SUCESSO.
Esta é o artigo mais recente.