A comunicação assume um papel fundamental quer no processo de treino desportivo, através da transmissão de conteúdos e/ou conceitos ao atleta, quer na própria competição, por meio das palestras. Que impacto terá  a palestra antes do jogo para que este se desenrole de uma forma positiva para a equipa? Como já falei em artigos anteriores, o feedback é parte fundamental para que o sucesso seja alcançado. No entanto, há um fator bastante importante que se deve ter em conta: A palestra. Existem três fases em que a palestra pode ser dada: Palestra pré-jogo, Palestra ao Intervalo e Palestra pós-jogo.

Antes de um jogo, esta deve ser conduzida de uma forma bastante decidida, ou seja, de forma a que os jogadores captem aquilo que lhes está a ser transmitido (como é lógico). Para além de decidida, tem de ser curta e rápida para que os jogadores não fiquem muito “maçados” com o que estão a ouvir, eles vêm de uma semana de treinos intensos, onde foi trabalhado algumas coisas para o jogo e não precisam de estar a ouvir tudo novamente, uns pequenos ajustes e lembranças chegam para eles se recordarem do que trabalharam.

A palestra ao intervalo é aquela que talvez seja a que mais impacto possa ter. O intervalo de um jogo pode ser o ponto de viragem para muitas equipas. Quantas equipas é que nós assistimos que entram para a segunda parte de um jogo com uma atitude e uma forma de jogar completamente diferente? Isto tudo deve-se única e exclusivamente ao Treinador. A colocação da voz e a linguagem corporal são tudo factores que o treinador tem de ter em conta na palestra e se for realmente assertivo num intervalo de um jogo, se as coisas não estiverem a correr bem, se conseguir “atingir” os jogadores, eles vão entrar para dentro do campo, na segunda parte, com uma atitude completamente diferente. Claro que isto leva muito tempo a ser conseguido, é preciso que o treinador conheça os atletas na perfeição, que saiba bem aquilo que está a dizer e que, acima de tudo, seja um verdadeiro líder e ponha as coisas no lugar. Se o cenário for favorável, então a palestra passa a ser bem mais tranquila, no entanto, sem relaxar a equipa. Procurar sempre querer mais e melhor, mostrar sempre que há lugar para conseguir fazer melhor.

Após um jogo, sou da opinião que os atletas devem ir embora, tranquilos, e que só se fale do jogo no treino seguinte à competição. Assim eles vão tranquilos, se o resultado for negativo, não precisam de estar a ouvir uma correção imediatamente a seguir ao que se sucedeu, pois eles já sabem que estiveram mal e que já não há nada a fazer. Assim, no treino a seguir ao jogo, com as coisas mais “esfriadas”, há mais tempo para dizer o que teve mal, o que se pode corrigir daqui para a frente e tudo o resto que se tenha para dizer. Para o bem e para o mal, apenas uma palavrinha deve ser dada imediatamente após o jogo, mas uma palestra penso não surtir qualquer efeito.

No futebol de formação, o processo é exatamente o mesmo. No entanto há só que ter em conta as idades em quais se está inserido, o discurso não vai ser o mesmo com uma criança de 10 anos e um jovem de 17. Poderá fazer-se o mesmo processo mas sempre com cautela e algumas diferenças. Há que saber equilibrar a balança, nem tanto ao mar nem tanto à terra, são miúdos!

A palestra, como referi anteriormente, poderá realmente levar-nos mais rapidamente à vitória. Se tudo for dito em 5 minutos, de uma forma a que os jogadores entrem para o campo comprometidos com o clube e a equipa, é muito difícil que alguma equipa os consiga parar. Agora com isto, claramente, tem de haver a competência tática do treinador, pois só ser um bom comunicador, não chega.

1 Comentário

  1. Olavo Ferrari
    8 Maio, 2018
    Responder

    Excelente!

Deixar uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Anterior Prevenção e Tratamento de Lesões Desportivas
Próximo MUDARAM OS VALORES - DO FUTEBOL DESPORTO AO FUTEBOL NEGÓCIO