O que é talento? O que é que significa? Como o podemos identificar? Será que sabemos sequer o que estamos à procura? Este trata-se sempre de um tema que gera muitas discussões quer a nível académico quer nos clubes e por vezes surpreende todos os Treinadores de futebol.

Hoje se escrevermos num papel 5 jogadores que treinamos e achamos que vão chegar mais longe no futebol profissional e se daqui a 10 anos abrirmos esse papel, o mais provável é que todas as previsões estejam erradas. E no entanto aquele jogador que ignorámos estará mais longe no futebol do que alguma vez pensámos. Como é possível?

É que aquilo que vemos e observamos é muito importante, tem muito interesse e valor, mas por vezes, o que desprezamos e não damos importância tem muito mais.

1º pensamento: Talento está relacionado com aptidão. Capacidade para exercer uma certa função ou actividade.

2º pensamento: Talento inato existe, mas existe em todo lado. Ter 1.95 metros de altura não significa necessariamente que a pessoa será jogador da NBA. A genética ajuda mas não consegue prever quem será campeão mundial, olímpico ou quebrar recordes. Talento é o bilhete de acesso à alta competição mas não é o factor decisivo.

3º pensamento: Quanto mais simples for a modalidade maior é o papel dos genes. Este não é o caso do futebol. O futebol é uma modalidade “aberta”, onde existe uma enorme variabilidade e imprevisibilidade de situações de jogo e do resultado. As suas características particulares como, cooperação-oposição, luta constante pela posse de bola e dependência do factor tempo geram um constante grau de incerteza ao ambiente competitivo. Assumindo a natureza mutável e intrincada da modalidade, também os seus intervenientes terão actuações complexas e funções abrangentes.

4º pensamento: Talento não é estático, não é uma questão de ter ou não ter. Por exemplo, se olharmos para a música. Há centenas de mulheres mais bonitas e melhores cantoras que a Madonna, no entanto não são milionárias nem famosas. Talento está em constante desenvolvimento e necessita de condições e ambiente propicio para emergir.

5ºpensamento: Segundo alguns autores existem dois tipos de talento: talento que grita vs talento que sussurra. Por exemplo: Usain Bolt é um exemplo de talento que grita. Aos 15 anos de idade já era o mais novo campeão de juniores de sempre, mostrando tremendo potencial. Por outro lado Ronaldo (brasileiro) que recebeu a Bola de Ouro com dezanove anos em 1996 é um exemplo de talento que sussurra. Somente 4 anos antes de receber o prémio, estava sem contrato e à procura de clube no Brasil, sendo várias vezes rejeitado.

O Mundo está cheio de exemplos de talento que sussurra: JK Rowling, Elvis Presley, Michael Jordan, Xavi, Iniesta, Charles Darwin, Lady Gaga, entre outros.

Como é que descobrimos potencial em alguém que parece ordinário? Como é que detectamos uma super-estrela em alguém  que não é ainda uma super-estrela? Como é que identificamos talento que sussurra? 

Ankerson, R. (2015) The Gold Mine Effect: Crack the secrets of high performance. 2ªEdição. UK: Icon Books Ltd.

Sem comentários

Deixar uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Anterior Níveis Qualitativos VS Idade do Praticante no Futebol de Formação
Próximo ESTÃO OS PAIS PREPARADOS PARA ACOMPANHAR O FILHO NO DESPORTO?