Apresentação da “CARTA DOS DEVERES DOS PAIS NO DESPORTO”


Foi ontem (dia 7 de Janeiro) apresentada na sede do Comité Olímpico pelas 17:30h a “Carta dos Deveres dos Pais no Desporto” durante a Conferência Internacional, subordinada ao tema “O Papel dos Pais no Desporto”, promovida pelo Panathlon Clube de Lisboa em cooperação com o Comité Olímpico de Portugal, e com o apoio da Edugep.

Sessão de Abertura

A Conferência, que decorreu entre as 9h00 e as 18h00, foi aberta ao público em geral, sendo particularmente dirigida a “dirigentes associativos, corpos sociais de clubes e coletividades, diretores técnicos (DT), profissionais responsáveis pela orientação e condução do exercício de atividades físicas e desportivas (PROCEAFD), estudantes do curso de Desporto, atletas e pais, fisioterapeutas e outros agentes da área da saúde”.

Na sessão de abertura estiveram presentes Nuno Laurentino (representante do Secretário de Estado da Juventude e Desporto), Augusto Baganha (Presidente do IPDJ), Jorge Máximo (Vereador do Desporto da CM de Lisboa), Manuel Brito (Presidente do Panathlon Clube de Lisboa) e José Manuel Constantino (Presidente do Comité Olímpico de Portugal).

Um dos objetivos da Conferência Internacional “O papel dos pais no desporto” passou por promover uma reflexão sobre as condições de envolvimento parental no sucesso do desenvolvimento pessoal dos jovens atletas, promover a prática desportiva no contexto familiar. Participaram nas duas sessões que se realizaram da parte da manhã, no 1º painel, Nuno Ferro, presidente da Sociedade Portuguesa de Educação Física, e Rose-Marie Repond Presidente do Panathlon Club of Fribourg, no 2º painel participaram Carlos Neto, professor catedrático e investigador da Faculdade de Motricidade Humana, e Thierry Zintz, Secretário-Geral da FISEC.

Nas duas sessões que se realizaram da parte da tarde com o objectivo de dar a conhecer o movimento Panathlon no contexto das várias instituições internacionais, nomeadamente as suas relações com o Comité Olímpico Internacional e o Conselho da Europa, a situação deste movimento em Portugal e respetivos projetos para o futuro.  Teve no 1º painel a participação Thierry Zintz, Secretário-Geral da FISEC, e Rose-Marie Repond Presidente do Panathlon Club of Fribourg, no 2º painel participaram Rodolfo Begonha, Presidente Honorário do Panathlon Clube de Lisboa, e Manuel Brito, presidente do Panathlon Clube de Lisboa.

A finalizar a conferência internacional foi feita a apresentação da “Carta dos Deveres dos Pais no Desporto” por Manuel Brito, Presidente do Panathlon Clube de Lisboa.

“A Carta dos Deveres dos Pais no Desporto” é um documento que descreve princípios orientadores da intervenção dos pais na atividade desportiva das crianças, foi criada pelo Panathlon Internacional,  adotada para português pelo Panathlon Clube de Lisboa, e que apresenta princípios simples e fundamentais que contribuem para o crescimento das crianças no mundo do desporto, dirigindo-se a todos aqueles que intervêm neste processo de educação desportiva e pessoal.

Segundo Manuel Brito, presidente do Panathlon Clube de Lisboa, a “Carta dos Deveres dos Pais no Desporto” ” insere-se nas preocupações crescentes sobre o papel, muitas vezes negativo, que os pais têm vindo a ter no acompanhamento da atividade física dos filhos”.

“É determinante que todos os agentes desportivos e encarregados de educação envolvidos no processo formativo dos jovens se comprometam com um ideal de formação baseado em valores de respeito, de fair-play e de uma prática desportiva essencialmente virada para o desenvolvimento das capacidades físicas e motoras adequadas a cada escalão etário, como contraponto a interesses meramente virados para a obtenção de resultados através de métodos e práticas físicas que desafiam o normal desenvolvimento motor desses jovens”, conclui.

[...]”O brincar vive-se, experimenta-se e dificilmente se explica. A magia do jogo percorre todas as idades com situações e significados diferentes. Os pais brincam com os filhos e as crianças brincam entre si através de processos de transmissão de geração em geração. A vida do homem explica-se pela criança que foi e pela qualidade e oportunidades de jogo que viveu.”[…]
 
Carlos Neto, professor catedrático e investigador da Faculdade de Motricidade Humana

3 Comentários

  1. Avatar
    António Firmino Raposo
    13 Janeiro, 2017
    Responder

    Fico com pena de, em tempo útil, não ter podido ler textos como este e como aquele ” Pai/mãe, que estás a fazer ?” Fica-se com tanta vontade de que o tempo volte para trás !

Deixar uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Anterior A TECNOLOGIA NA INFÂNCIA. SIM OU NÃO?
Próximo SOBRE O TALENTO: AQUILO QUE NÃO NOS DISSERAM…