Das diversas teorias e opiniões acerca do objetivo do treino em atletas que estão a iniciar a sua prática de futebol, estas variam desde um formato reducionista em que as crianças ali estão apenas para brincar, sem se transmitir qualquer tipo de ideia ou conceito acerca daquilo que é o jogo e o futebol na sua essência, até à especialização precoce daquilo que é o processo de treino para os mais jovens. Olhando para este panorama, colocar-me-ia exatamente ao centro, bebendo um pouco destas duas ideias que, ditas desta forma, são demasiado extremistas.

Sempre que penso em treino para crianças, coloco imediatamente como principais objetivos que o atleta se divirta, tenha tempo no treino para brincar e que acima de tudo saia do treino ansioso pelo próximo. Para mim estes são ingredientes fundamentais que devem existir em todos os treinos para atletas de idades mais baixas. Jogos onde as crianças passem por diversas experiências motoras e interajam com os colegas são componentes essenciais ao seu desenvolvimento e como tal, na minha opinião, devem ser inseridas no processo de treino o maior número de vezes possível.

 Para as crianças, puder juntar o gosto pelo futebol à sua essência brincalhona é algo que as deixa extremamente felizes.

Posto isto, pergunto: Não pode o treino estar repleto de brincadeira e diversão, e ainda assim serem transmitidos aos atletas conteúdos simples que servirão de base ao seu crescimento enquanto jogadores de futebol? Diria que sim. Este é um dos fatores pelo qual o treino de crianças me fascina tanto. Conseguir criar exercícios onde os atletas não só se divirtam, mas também onde consigam absorver conceitos técnico-táticos básicos é bastante desafiante e tem vindo a ser o meu foco desde que trabalho diariamente com crianças no mundo do futebol. Para além disto, desenvolver capacidades como a tomada de decisão ou a criatividade são também fatores importantes a ter em conta.

Nos dias que correm, as crianças passam mais de metade do seu dia sentadas, seja na escola ou mesmo em casa, pelo que procuram no treino o local para gastarem toda a energia que foi acumulada ao longo do dia e cabe ao treinador de formação canalizar toda essa energia tão característica dos mais pequenos para que estes possam aprender brincado!

2 Comentários

  1. […] Fonte: André Reis, Futebol de Formação […]

  2. Fabio Brostel
    2 Agosto, 2017
    Responder

    Excelente!!

Deixar uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Anterior Ansiedade desportiva e aprovação Social
Próximo Certificação "Bandeira da Ética" um selo de qualidade sob a tutela IPDJ/PNED