FPF recenseou mais de 1000 Escolas de Futebol e Futsal


Até Entidades que não se encontravam oficialmente filiadas aderiram ao recenseamento. Primeira etapa do processo de certificação teve início em 01 de Julho.

A FPF lançou o desafio e a família do futebol não deixou margem para dúvidas na resposta vigorosa: entre os dias 1 de março e 15 de junho de 2018, foram mais de 1000 as Entidades e Clubes que fizeram o Recenseamento indispensável para a entrada no processo de Certificação de Escolas de Futebol e Futsal, promovido pelo organismo que tutela o desporto-rei em Portugal.

A adesão massiva a esta iniciativa obrigou a um alargamento do prazo inicialmente estipulado – 31 de maio – e fica refletida até no número de Entidades (perto de uma centena) que não estavam filiadas nas ADR`s e na FPF e aproveitaram a oportunidade de integrar uma medida estruturante para o futebol nacional e não continuarem em desconformidade com o DL 45/2015, de 09 de abril.

A primeira etapa do Processo de Certificação arrancou em 01 de julho, e consiste no preenchimento da autoavaliação que será disponibilizada através da Plataforma de Certificação, para todas as Entidades ou Clubes recenseados e decorre até 30 de outubro. Neste período – entre 1 de julho e 30 de outubro – proceder-se-á também à inscrição e registo de todos os praticantes das Entidades ou Clubes que vieram ao Recenseamento, à homologação de todas as competições em que participam e à constituição de uma subcomissão de avaliação nas 22 Associações de Distrais e Regionais de todo o país que irão acompanhar este trabalho em permanência junto dos Clubes, Escolas de Futebol ou Centros Básicos de Formação de Futebol (assim classificados segundo os requisitos a que correspondam na autoavaliação) da sua zona geográfica.

As Entidades que não aderiram ao Recenseamento têm ainda oportunidade de aceder ao processo de Certificação até ao dia 30 de setembro, comunicando essa vontade por escrito através do email certificacao@fpf.pt.

A Certificação da FPF pode trazer enormes vantagens a todos os Clubes e Entidades envolvidas, como por exemplo o reforço do mecanismo de compensação financeira e a credibilidade de uma avaliação qualitativa que permita assegurar o reconhecimento público no meio em que estão inseridas, através do cunho da Federação Portuguesa de Futebol.

Neste sentido, a FPF agradece o apoio de todos os clubes e Associações Distritais e Regionais na divulgação e consciencialização da importância de um processo que representa não apenas mais um passo no trabalho conjunto de desenvolvimento do futebol português, mas também um auxílio efetivo a todos os pais que pretendem fazer uma opção segura na hora de escolher uma Entidade onde os seus filhos possam praticar um desporto que se confunde com a identidade do país.

Desta forma, o organismo que tutela o futebol português cumpre a vocação tutelar que lhe é conferida pelo Decreto-lei 45/2015, de 9 de abril, onde se pode ler que “compete à Federação Portuguesa de Futebol homologar os regulamentos aplicáveis, a fim de assegurar o respeito pelas regras de proteção da saúde e segurança dos participantes, bem como o cumprimento das regras técnicas da modalidade, e encontra-se dependente da emissão de parecer ao abrigo do Regulamento de Homologação de Provas da FPF.”

Fonte: Federação Portuguesa de Futebol

Sem comentários

Deixar uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Anterior Tabela 5 - Quotas de transferência entre clubes nacionais, FPF CO1 Época 2018/19
Próximo Desporto Mental