Iniciação ao Futebol: Possibilidades e/ou Oportunidades


Uma das frases mais ouvidas provavelmente em qualquer campo de futebol durante um fim-de-semana será “O meu filho(a) joga pouco tempo…não lhe passam a bola… não lhe dão oportunidades de jogar, jogou só 5 minutos.”

Na maioria dos casos este tipo de comentários não nos levam a lugar nenhum, por isso sugiro a todos que fazem parte do mundo do Futebol de Formação (Federações, Associações, Clubes, Dirigentes, Treinadores, Pais) e a todas as pessoas que fazem parte do processo de formação de um jovem atleta a reflectir sobre este tema.

As crianças em certas idades devem participar de forma igual, e devem ser treinadas da mesma forma. Não lhes dar o tempo suficiente de prática faz com que não evoluam ou até mesmo provocar uma maior estagnação evolutiva em qualquer criança independente das suas capacidades e/ou qualidades futebolísticas.

Por vezes ter um filho(a) ou um atleta que não tem a condição física desejável, porque é um pouco mais forte/gordo, porque é muito magro, é pequeno/grande, é lento ou as qualidades não são as ideais, mas se não lhe foram dadas oportunidades no treino ou no jogo, nunca terão capacidades e motivação para se superarem e poderem evoluir.

Porque não implementar um sistema em que até certas idades todos joguem pelo menos metade do tempo das partes de cada partida/jogo seja de futebol ou noutro desporto?

Nenhuma criança deve-se sentir penalizada/julgada pela sua condição física, devemos sempre ajudar a que esta melhore e a melhor maneira é que participe em todos os treinos e jogos, e com isso vamos ajudar com que a prática desportiva seja levada mais a serio pelos atletas com maior assiduidade aos treinos elevando os níveis de confiança e poderem melhorar as suas qualidades e capacidades.

“A vida não oferece promessas nem garantias, apenas Possibilidades e Oportunidades.”

Também se pode dar oposto, filhos/atletas distinguidos pelo seu desenvolvimento físico que superam facilmente todos os obstáculos e adversários porque têm qualidades distintas mas que para atingirem os objectivos tem de continuar a trabalhar e a evoluir. No imediato destacam-se pelas capacidades físicas, mas gradualmente a diferença física será menor, e provavelmente acabam por estagnar no jogo e desmotivar.

Ter especial atenção em não saltar etapas na sua formação e um enquadramento competitivo correto em ambos os casos.

Contudo, e como forma de motivação para os pais, treinadores e principalmente para as crianças e jovens atletas, há muitos casos de jogadores profissionais na actualidade desportiva mundial, que foram rejeitados por alguns clubes devido à sua condição física. Entre os vários casos estão por exemplo Antoine Griezmann do Atlético de Madrid e da selecção Francesa que fez treinos de captação em 6 ou 7 clubes em França e todos deram a mesma resposta, “…tem que esperar mais 1 ou 2 anos para ver se cresce mais um pouco”…, outro caso é o penta Bola de Ouro (2009, 2010, 2011, 2012 e 2015) Leo Messi que foi rejeitado pelo River Plate por ser de estatura pequena e não desejarem pagar os tratamentos para ajudar o seu crescimento, e como estes casos há muitos outros.

Uma criança /jovem que queira se tornar um atleta de futebol amador ou profissional tem que dominar as habilidades específicas do futebol, pois cada modalidade possui habilidades motoras específicas que são construídas e modificadas com o passar do tempo, para se tornar um atleta de eleição topo mundial do futebol ele deve ter o dom. A palavra dom pode ser explicada como habilidade, talento, algo inato, uma dádiva: a habilidade pode ser explicada pelo talento, o talento é explicado como uma característica inata, e se nasce com ele, isso deve ser uma dádiva, exclusiva de cada atleta.

É difícil mas não é impossível, no futebol e na vida, paciência é uma grande virtude, pois cada atleta é motivado por coisas diferentes, e precisas de tratar cada caso de uma forma específica.

E se o seu filho não tiver habilidade ou não gostar de jogar Futebol? Então, o que Fazer?

2 Comentários

  1. Catarina Pires
    17 Março, 2017
    Responder

    A minha filha gosta de futebol e tem 16 anos tem alguma coisa para ela?

    • Cláudio Pires
      6 Maio, 2017
      Responder

      Olá Catarina,
      o futebol feminino em Portugal tem colhido maior recetividade e atenção por parte dos organismos responsáveis pelo que se encontra em franca expansão. Dependendo da sua localização deverá procurar quais as opções e escolher de entre as quais, uma em que a sua filha seja bem recebida e se sinta bem. Para saber quais as equipas disponíveis pode contactar a associação de futebol do seu distrito. As maiores felicidades.

Deixar uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Anterior Iniciação ao Futebol de Formação
Próximo Como sei que o Treinador do Meu Filho é Bom?